logo aprende brasil carregando

Blog

  • Compartilhe:
Notícias
5 de junho de 2019

Cultura da paz: como promover nas escolas?

Agir constantemente e envolver toda a comunidade escolar é o principal caminho

Todos que acreditam no poder da educação sabem: ela é fundamental para construir uma sociedade sem violência, que se baseia nos princípios da paz e  busca resolver conflitos por meio do diálogo e da colaboração. Mesmo que fazer isso na prática, e efetivamente formar bons cidadãos, não seja uma tarefa simples, este deve ser o objetivo de todas as escolas.

 

Sabendo disso, listamos neste post alguns pontos importantes que podem ajudar você a começar a espalhar a cultura da paz por meio de ações que não só deixarão o ambiente da sua escola mais saudável, mas contribuirão para transformar o mundo em um lugar melhor. Confira!

 

Planeje ações para o ano todo

O primeiro ponto para ter em mente é que promover a cultura da paz é um trabalho contínuo. Ações isoladas ou paliativas não são suficientes para evitar a violência e o assédio na escola. Por isso, crie um projeto sistemático de prevenção para o ano todo, envolvendo toda a comunidade escolar (alunos, pais e educadores).

 

Construa uma corrente do bem

Incentive práticas de solidariedade entre os alunos, como campanhas de arrecadação de agasalhos ou alimentos, por exemplo. Mostre o quão importante é o papel deles como cidadãos e como os mais privilegiados podem ajudar os menos favorecidos para transformar a sociedade em um lugar melhor para todos.

 

Promova atividades em grupo

O trabalho em equipe é um ótimo meio para trabalhar habilidades socioemocionais de crianças e jovens. Ao mostrar para eles que cada um é responsável por uma parte que formará um todo, além de desenvolver a capacidade de colaboração, você está ajudando a construir neles o sentimento de pertencimento. Podem ser atividades culturais, esportivas ou de lazer, e é ainda melhor se elas envolverem não só os alunos, mas também as famílias e os professores.

 

Transforme os alunos em aliados

Capacitar os professores e demais colaboradores da escola para que possam identificar situações de bullying é essencial, mas é também indispensável instruir os próprios alunos para que eles possam detectar entre si quando uma “brincadeira” passar do limite do respeito. Incentive-os a intervir quando for necessário e pedir a ajuda de adultos ao perceberem que não vão resolver o problema sozinhos.