logo aprende brasil carregando

Blog

  • Compartilhe:
Notícias
22 de agosto de 2019

Como trabalhar a alfabetização a partir da realidade do aluno

Entenda o conceito e a motivação da BNCC ao estimular o ensino a partir do que já é real para aluno 

Com a alfabetização, a criança passa a compreender o universo da linguagem escrita e a fazer parte dele. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) propôs algumas novidades para os primeiros anos do Ensino Fundamental, como a alfabetização a partir de textos que façam parte da realidade da criança.

Tais propostas da BNCC dizem respeito à alfabetização e à necessidade de ajudar na construção de uma educação mais real e palpável para os alunos. Uma dessas propostas discute a centralização da alfabetização no texto. Para o documento, essa é uma maneira de ensinar a Língua Portuguesa a partir do que já é comum para o aluno.

Esse desenvolvimento leva em consideração a “alfabetização informal”, aquela que acontece fora de sala de aula, com referências visuais que auxiliam a criança a reconhecer o supermercado pela logomarca (mesmo que não saiba exatamente o que diz o letreiro) ou, ainda, a identificar sites infantis apenas pelo design, por exemplo.

Dessa forma, é possível construir uma estratégia de aprendizado que envolva o aluno, trabalhando aspectos que ele já conhece e fazendo com que, ao olhar os conteúdos propostos, ele se familiarize e fique instigado a descobrir o sentido de signos que já conhece.

Na prática

Como exemplo é possível pensar no ensino da música. Os alunos têm uma ideia geral de como é a música, já ouviram no rádio, na televisão, na internet, a família já cantou diversas vezes para eles. Isso faz com que as expectativas sejam altas para aprender mais sobre o assunto. Mas, ao iniciar o aprendizado, imagine que eles se deparem com uma partitura. Isso acaba gerando decepção e angústia, pois essa representação não se aproxima em nada da música que eles conhecem.

É importante partir do que já é comum. No caso da música, seriam necessárias dinâmicas com as experiências que eles conhecem: a reprodução, o incentivo à criação de letras e assim por diante para gerar a compreensão do processo por trás de uma partitura.

Na alfabetização, é a mesma coisa: é preciso contar histórias, mostrar como o desenvolvimento da linguagem se aplica no dia a dia do aluno, demonstrar o alfabeto e as palavras e como eles produzem textos e linguagens mais complexos. Tudo isso ajuda a estimular a curiosidade e a compreensão do processo antes da leitura e escrita.

Como o Aprende Brasil faz isso

Considerando os aspectos destacados pela BNCC e utilizando a metodologia interacionista, o material do Sistema de Ensino Aprende Brasil é desenvolvido pensando em todos os estímulos aos quais os alunos estão expostos no dia a dia.

Além da função social aplicada aos textos em sala, nós nos preocupamos com os diferentes níveis de aprendizado de cada estudante. Todas as sequências didáticas são construídas de forma a contemplar os diferentes estágios de desenvolvimento, com estratégias variadas, ajudando os alunos no processo de aprendizagem, tornando-o mais prazeroso, participativo e divertido. Saiba mais sobre o nosso sistema.