logo aprende brasil carregando

Blog

  • Compartilhe:
Notícias
18 de dezembro de 2019

Como preparar as novas gerações de estudantes?

Entenda os pontos relevantes na construção de conhecimento das novas gerações

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) tem como objetivo orientar as escolas brasileiras no que diz respeito aos desafios da vida contemporânea. Sendo assim, o documento pauta a formação escolar e define que os alunos devem ter um desenvolvimento humano, para que sejam capazes de construir um futuro mais justo, ético, democrático e responsável.

Toda essa conceituação precisa de reflexão, pois, diante da realidade da estrutura das escolas brasileiras, ainda há uma série de questões latentes. Para colocar a BNCC em prática, é preciso pensar na infraestrutura das escolas, bem como nos recursos técnicos, humanos, tecnológicos e físicos, explica Zita Lago, professora e doutora em Educação.

As novas gerações

É preciso compreender as mudanças propostas pelo documento e o público que ela atinge, pois são crianças e adolescentes que nasceram e estão se desenvolvendo em um contexto diferente do comum. Ao compreender essa geração, será possível entender as exigências da BNCC e seus resultados a longo prazo.

Zita explica que “essa geração, se levado em conta o meio tecnológico em que nasce, precisa se desenvolver de maneira competente e criar autonomia para se emancipar no sentido do conhecimento e do que  fazer desse conhecimento, desenvolver a proatividade e o protagonismo com relação a seus próprios processos e percursos de vida”.

Corpo docente

Os professores devem estar atentos ao fato de que todas as competências presentes no documento exigem também uma mudança em suas ações. Para contemplar a BNCC e preparar as novas gerações com êxito, é preciso colocar o aluno como foco, trabalhando de forma linear e colaborativa, modificando a prática pedagógica pré-existente.

Além disso, Zita garante que é necessário contemplar o fato de que uma nova geração está trazendo para dentro da escola seus saberes, suas angústias, demandas de outra natureza. E, consequentemente, essas demandas exigem habilidades que o professor vai precisar ajudar os alunos a desenvolver, como a compreensão de tecnologias inovadoras, a autonomia, o papel ativo do estudante na escola e assim por diante.

Dessa forma, as novas metodologias não dispensam o professor; pelo contrário, valorizam o seu papel porque ele continua a ser um elemento necessário na construção de conhecimento. Quer entender melhor? Confira este episódio da nossa websérie sobre a BNCC com a Profª Drª Zita Lago.