logo aprende brasil carregando

Blog

  • Compartilhe:
Notícias
29 de novembro de 2019

Ansiedade na escola: como identificar, ajudar e prevenir

É preciso ficar atento ao comportamento dos estudantes para saber qual o momento e a melhor forma de ajudá-los

Quem nunca ficou nervoso antes de um evento importante ou ao esperar por algo que deseja muito acontecer? A ansiedade é um sentimento natural e uma resposta do ser humano a diversos fatores. Contudo, quando ela se manifesta em níveis elevados e constantes, pode prejudicar a saúde mental. Os transtornos de ansiedade, geralmente, são caracterizados por um sentimento de medo e preocupação excessiva, que faz com que a pessoa reaja de forma desproporcional a situações que, para a maioria, são cotidianas.

Na escola, os alunos podem se sentir ansiosos por ter que socializar com os colegas, cumprir prazos e tirar boas notas. Por isso, é preciso ficar atento ao comportamento dos estudantes e, mais importante, ensiná-los a lidar com esse sentimento para evitar que a situação se agrave, visto que trabalhar as habilidades socioemocionais é um componente previsto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Como identificar?

A ansiedade em nível intenso pode fazer com a criança ou adolescente se isole socialmente. Assim, observe o comportamento do aluno, se ele não interage com o demais e, principalmente, o que leva a isso. Às vezes, é só timidez, mas quando o motivo para evitar esse contato – ou outras situações – for medo, é preciso ficar alerta. Além disso, estudantes muito ansiosos podem se sentir pressionados a ter sempre um ótimo desempenho, se cobram demais e tendem a ter uma reação desproporcional quando não vão bem em uma prova, por exemplo.

Como ajudar?

Ao notar que o aluno apresenta comportamentos de ansiedade excessiva, é importante que a escola entre em contato com os pais ou responsáveis. Assim, será possível entender melhor as causas e discutir o que pode ser feito para ajudar a criança ou o adolescente.

Estudantes ansiosos têm muita dificuldade de lidar com a imprevisibilidade. Então, tente não colocá-los em situações para as quais eles não tenham se preparado. Ajudar um aluno com ansiedade é um processo lento que requer progressos em pequenos passos, pois é preciso cuidado para evitar a superproteção, mas também não exigir dele o que ele não pode dar.

Se a criança tem medo de falar em sala de aula, por exemplo, forneça oportunidades graduais para que ela possa se expressar. Primeiro, dê a chance para que responda brevemente a uma pergunta simples e, aos poucos, com o tempo, incentive-a a falar mais.

Como prevenir?

Uma das melhores formas de ajudar o aluno a lidar com a ansiedade e, consequentemente, evitar que ela se manifeste em níveis elevados é trabalhar as habilidades socioemocionais na escola. Elas são importantes para que as criança e adolescentes pratiquem o autoconhecimento e desenvolvam inteligência emocional, ou seja, tornem-se capazes de compreender suas próprias emoções e necessidades. Já fizemos publicamos conteúdos sobre o assunto aqui no blog, não deixe de conferir.